h1

Repertório do Coral Friburgo

Mistério do Sem fim
Cecília Meireles

No Mistério do Sem-fim
equilibra-se um planeta
e no planeta um jardim
e no jardim um canteiro

No canteiro uma violeta
e sobre ela o dia inteiro

Entre o planeta e o sem fim
a asa de uma borboleta

 

Colar de Carolina
Cecília Meireles

 

Com seu colar de coral,
Carolina
corre por entre as colunas
da colina.

 

O colar de Carolina
colore o colo de cal,
torna corada a menina.

 

E o sol, vendo aquela cor
do colar de Carolina,
põe coroas de coral

 

nas colunas da colina.

 

O Barco
Glaucia Machado

 

No Barco tem peixe
peixe do mar

 

No mar tem barco
quero pescar

 

Vou pegar um peixe
e no barco guardar

 

Barco que navega
nas águas do mar.

 

O Cavalinho Branco
Cecília Meireles

 

À tarde o cavalinho branco
Está muito cansado:

 

mas há um pedacinho do campo
onde é sempre feriado.

 

O cavalo sacode a crina
loura e comprida

 

e nas verdes ervas atira
sua branca vida.

 

Seu relincho estremece as raízes
e ele ensina aos ventos

 

a alegria de sentir livres
seus movimentos.

 

Trabalhou todo dia tanto!
desde a madrugada!

 

Descansa entre as flores, cavalinho branco
de crina dourada!

 

Leilão de Jardim
Cecília Meireles

 

Quem me compra um jardim
com flores?

 

Borboletas de muitas
cores,

 

lavadeiras e passarinhos,

 

ovos verdes e azuis
nos ninhos?

 

Quem me compra este ca-
racol?

 

Quem me compra um raio
de sol?

 

Um lagarto entre o muro
e a hera,

 

uma estátua da Pri-
mavera?

 

Quem me compra este for-
migueiro?

 

E este sapo, que é jar-
dineiro?

 

E a cigarra e a sua
canção?

 

E o grilinho dentro
do chão?

 

(Este é o meu leilão)

 

Estórias da Floresta
Milton Nascimento

 

A brisa acorda a brasa que dormia
O rio aquece sua água fria
Onde a onça bebe a serpente espia
A mata estranha o que traz o dia

 

A lua vai indo nos deixa sem guia
Sol não aparece a coruja pia
A gente se encolhe na manhã vazia
Já não há quem fale e quem é que poderia

 

A noite de volta qual é a magia
Que desperta o medo que eu escondia
Qual é o mistério? Qual a maestria?
Que pára a orquestra em plena sinfonia

 

O sol de repente traz a luz tardia
e a alegria espalha em cantoria
Onde havia espanto só há ousadia
Foi só brincadeira de um curumim.

 

Nozaniná
Música Tupi-Guarani recolhida por Roquette Pinto

 

Nozaniná ôre kuá, kuá
Kazá êtê, etê

 

Nozaniná ôre kuá, kuá
Nozaniná tera haura hau

 

Olôriti, niti
Noterahau koze tozá, tozá
Neê êná, ená

 

Uá lalô, lalô
Gira halô, halô.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: